quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Era gaja para atropelar a "Violetta"

A minha sobrinha tem 7 anos.
A minha sobrinha tem 7 anos e tem na Violetta um exempplo de vida. O que me faz perguntar "ONDE RAIO É QUE EU FALHEI?". Eu sei que não sou a mãe, mas porra pá.. A Violetta?!?
Agora anda triste porque quer ir ver o concerto. Diz ela que eu podia ir com ela. Claro que sim, vou já ali roubar um banco e pagar os olhinhos da cara a ver uma espanhola qualquer com as hormonas aos saltos a cantar na Meo Arena...

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Diz que é tempo de balanço...

.. mas eu cá prefiro baloiços!
Mas 2014 foi um ano tão estranho que dei por mim a pensar no que mudaria caso tivesse oportunidade. E a verdade é que não mudaria nada, até porque muita coisa não dependia apenas de mim. Tenho plena consciência de que foi um dos anos mais difíceis da minha vida e admito que houve ali uma altura em que vi a coisa ficar mais preta que o Mantorras. Problemas com o subsídio de desemprego, processo em tribunal contra a ex-entidade patronal, candidatura de estágio profissional congelada durante mais de 6 meses, aldrabões que queriam que trabalhasse de graça, uma desilusão amorosa.. não houve nada que não me acontecesse. Mas estou aqui e tal como disse em junho, na altura da desilusão amorosa, "nada na minha vida foi fácil, não era agora que ia ser".

2015 bring it on!