sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Como disse João César Monteiro.. "Que se foda e assim sucessivamente"!

Se há coisa capaz de me fazer ficar com os pêlos eriçados de raiva é a falta de vergonha na cara! E eu que achava que já tinha tido a minha dose de camelos aldrabões, a verdade é que eles teimam em aparecer-me.. tal como as borbulhas, essas cabras, que aos 30 ainda me nascem como se eu fosse uma adolescente!
Estou há mais de cinco meses à espera de um estágio profissional.. Não sei quem o vai parir, mas tenho a certeza que é um parto díficil tal as complicações que têm havido. Nos entretantos, dedico-me à procura de trabalho porque, quem sabe?, num rasgo de sorte posso realmente arranjar um trabalho numa empresa séria e, alinhem-se os astros, garantir o meu futuro. Não será na última empresa com a qual colaborei quase dois meses "à experiência". E porquê? Porque o responsável queria que trabalhasse o tempo que ele quisesse sem me pagar um tusto. Nas palavras dele, "aqui não há dia certo para receber e como não há um vínvulo assinado..."! Eu tenho é de aprender que a palavra nos dias de hoje não vale rigorosamente nada e deixar de acreditar nas pessoas. Iriam lançar um novo projeto, um novo jornal local, e eu seria uma mais valia porque podia paginar o jornal e escrever os conteúdos. Iria fazer o que gosto, foi tudo o que pensei. Disse que me pagaria o primeiro mês, nada de exorbitante, mas que no segundo mês falavamos. Ao dia 8 do segundo mês perguntei-lhe pelo pagamento e começou a novela. Foi adiando até ao dia 20, dia em que bati o pé e disse que não escrevia nem mais uma linha até ver o dinheiro. "Não gosto de trabalhar com pessoas que pôem o dinheiro acima do trabalho", foi a resposta que ouvi. Fiz a paginação do novo jornal do início ao fim. Cortei radicalmente com a imagem do jornal já existente e quem viu os dois notou um acréscimo de qualidade. Era "um jornal a sério", disseram. E não é que aquele energúmeno queria o ficheiro do novo para implementar nos dois? Claro.. a mãe já vai! Não sei se algum diz irei ver a cor do dinheiro, mas gozar com a minha cara e com o meu trabalho é que não... E aos poucos, vou perdendo a fé nas pessoas...

10 comentários:

  1. Não são muitas, mas ainda vão aparecendo pessoas em quem podemos confiar. Temos de aprender a separar o trigo do joio, mas nos "entretantos", há sempre quem nos coma por parvos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu devo ter um íman para os que são joio então!!!

      Eliminar
  2. Que desavergonhado! Não se faz essas merdas a quem trabalha e ainda por cima bem. Fizeste bem em bater com a porta. Quanto ao estágio o melhor era teres já um sítio e eles pedirem o estágio. Essas cenas são demoradas. Uma miúda que trabalha comigo esperou 6 meses até à aprovação do dela. Boa sorte :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daqui a pouco faço anos e passo do prazo para estagio.. Por isso essa tb é uma porta que se fecha..

      Eliminar
  3. Eu já perdi a fé total...:(
    É triste!!!

    ResponderEliminar
  4. Sabes que te digo? Há demasiada gente filha da puta à solta :/
    Mas não percas a fé nas pessoas, ainda há boa gente por aí!

    ResponderEliminar
  5. Cabrão! É que não tem outro nome!

    ResponderEliminar