sábado, 31 de maio de 2014

Só à puta da chapada

Eu juro que não tenho contra o facebook e sei que cada um faz do seu mural o que bem entende.
Mas descobrir que tenho familiares acéfalos  através de uma rede social é demasiado para mim e para este pobre coração que bate cá dentro.

A pessoa em questão tem uma criança pequena. Como qualquer mãe (a minha talvez seja excepção), tem um orgulho imenso no pequeno ser a que deu vida e, como tal, o mural dela vive à custa de fotos do filho. Até aqui nada de muito estranho, excepto a questão da exposição da criança, mas isso dava pano para mangas.O que me faz concluir que a criatura não tem um pingo de inteligência dentro daquele cérebro é mesmo o puto estar em cima da mesa da sala na maior parte das fotos. Sentado, de pé, montado num urso de peluche, com roupa, de óculos de sol.. As posições variam, o sítio é que não! Dai-me paciência... porque se me derem força eu parto-lhe a cara...




terça-feira, 27 de maio de 2014

26 de Maio de 2004

Passaram dez anos e lembro-me de todos os acontecimentos daquele dia que teve muito mais do que 24 horas. Lembro-me do nervosismo que me acompanhou ao longo do dia, da incerteza que não me deixava decididir se ia para casa no fim das aulas ou se ia ter com alguém para não sofrer sozinha... E o receio! O receio de ver o sonho transformado em pesadelo. Não é que não acreditasse.. Acreditava, acreditava com todas as minhas forças que a vitória ia surgir, mas tinha receio do que teria de passar até ao momento da glória. Lembro-me do silêncio sepulcral naquela sala com mais de 20 pessoas. As trocas de olhares, as mãos inquietas e os pés que teimavam em não parar quietos.. E de repente a sala rejubila! Os abraços a pessoas que nem conhecia, as palmas, o "Goooooooooolo" gritado a várias vozes. Lembro-me das lágrimas no fim do jogo. Não sei, nunca soube, o que me fazia chorar, mas não chorava sozinha. Lembro-me do percurso a pé até aos Aliados agarrada ao cachacol, dos cumprimentos entre pessoas desconhecidas, das palmas, dos cânticos.. Lembo-me da festa, das vozes roucas, das bandeiras levantadas e do orgulho enorme espelhado na cara de toda a gente.

Pssaram dez anos e lembro-me como se tivesse sido ontem...



domingo, 25 de maio de 2014

Eu não gosto de ir votar

Eu não gosto de ir votar.
E não gosto por um motivo tão válido como qualquer motivo que sirva de justificação para qualquer acto. (Porra.. isto fala-se em polítca e a minha capacidade de falar e não dizer nada aumenta automaticamente!!)

Não tem nada a ver com o facto de eu considerar toda a classe política, de uma ponta à outra, uma cambada de chupistas; não tem nada a ver com o facto de eu achar que os resultados serão sempre os mesmos independentemente do partido político vencedor porque, no fundo no fundo, eles são todos iguais e carregam o peso das decisões tomadas pelo seus antecessores e eles, coistadinhos, já nada podem fazer para alterar o rumo das coisas; também não tem nada a ver com o facto de eu pura e simplesmente não me rever em nenhum dos grandiosos candidatos..

Eu não gosto de ir votar porque há sempre, pelo menos, 4 marmanjos que ficam a saber o meu nome completo. E não ficam a saber porque todos veêm o meu cartão de eleitor! Não.. ficam a saber porque o camelo-mor da mesa de voto mal recebe o cartão de eleitor das minhas mãos abre as goelas e grita a plenos pulmões o meu nome. Sinto-me em plena extração da lotaria do natal com o típico:

- Vinte e quatro mil quatrocentos e setenta e seteeeeee!
- Cinco miiiiiiil euros!!!!!

(sim, eu sei que acontece com toda a gente, mas eu não gosto do meu nome)

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Eu não sou assim tão má pessoa!

Eu sou uma chata do pior, uma sensívelzinha do carago e tenho um mau feito de tirar a paciência a um santo. Mas no fundo, lá bem no fundo, sou uma óptima pessoa, um verdadeiro coração mole.
E o melhor exemplo que vos posso dar deste meu lado "Madre Teresa de Calcutá" é este: deixei que uma senhora, que nunca vi mais gorda, usasse o meu ombro como almofada no metro. Não a acordei, não me mexi, simplesmente deixei-a dormir! Isto pode ter alguma coisa a ver com o facto de já ter estado no lugar dela e ter adormecido em cima de uma senhor.. Ou então não, aconteceu porque sou mesmo extremamente boa pessoa..

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Síndrome Conchita

Gajos de singlete.
Gajos de singlete com decote.
Gajos de singlete com decote até ao umbigo.
Gajos de singlete com decote até ao umbigo e sem um único pêlo no peito.
Gajos de singlete com decote até ao umbigo e sem um único pêlo no peito, com cabelos compridos e sedosos.
Gajos de singlete com decote até ao umbigo e sem um único pêlo no peito, com cabelos compridos e sedosos e barba rija.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Que raio é suposto dizer?

Aquele momento em que vemos alguém sair da casa de banho, levantamo-nos e a pessoa em questão diz:
"vais à casa de banho? Se fosse a ti não ia já.."

Como é que se responde a isto?
a) o teu cu não é tímido?
b) e começares a comer sabonetes?
c) obrigadinha pela imagem mental

domingo, 11 de maio de 2014

Alfinete de peito

Sendo eu uma pessoa de extrema sensibilidade e, portanto, de lágrima extremamente fácil, já tinha pensado enveredar pela carreira de carpideira profissional. No tempo em que estamos, há que abraçar toda e qualquer oportunidade profissional que nos apareça e já que não tenho coragem para participar no The Voice, sob pena de não me conseguir controlar na presença do Carreira e chamar-lhe nomes bonitos, pensei seriamente em carpir profissionalmente.

Até que me falaram na Anna Santiago e no vídeo que anda à solta por essas redes sociais fora (eu admito que os vídeos me passam ao lado porque como sou um poço de sensibilidade tenho sempre medo de me assustar a sério e ficar ainda mais gaga e , por isso, nem os abro). Esta jovem arruinou todo e qualquer projecto a nível do carpimento profissional logo nos primeiros segundos do vídeo. Como é que eu quero enveredar pela arte de carpir se não tenho um alfnete de peito para pendurar no vestido? Como?!? Mais um projecto de vida arruinado...

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Internem-me!

Eram quase quatro da manhã. Não sei precisar a hora exacta porque olhei para o relógio com os olhos semicerrados de tanto sono. Estava a ter um sonho mas também não dizer o que sonhava. A vontade de fazer xixi era enorme. Mas o sono também. Acabou por vencer o xixi. Não quero forçar a bexiga a esforços extraordinários, para isso já me chega o percurso de metro feito, muitas vezes, com as pernas tão coladinhas que um dia destes cola-se tudo! Levantei-me da cama. Não me lembro de ter calçado os chinelos nem de acender a luz quer a do quarto quer a da casa de banho. Mas devo tê-la acendido porque quando acordei realmente e vi a merda que estava a fazer a luz estava ligada. E eu estava tão mas tão tolinha com o sono que.. E lá se vai o resto da imagem de gaja decente que me restava... Fiz xixi fora da sanita! Ela estava lá, recatada no lugarzinho dela, e eu também estava onde era suposto estar, ou seja, sentadinha nela. Mas estava sentada tão na pontinha e o xixi era tanto que puff... Inundei o chão. Eram 4 horas e 32 minutos quando voltei para a cama. Internem-me...Eu deixo!

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Sabadabadão

O João Baião está para a televisão como o André Villas Boas estava para o FCP: está na cadeira de sonho até alguém lhe pagar mais!
E agora volta à SIC. Não terá o macaco Adriano, mas sim a companhia da Julia Pinheiro... Sob pena de não querer ficar cega se tanto o ver saltar nem surda de tanto a ouvir gritar, não me parece que vá assistir uma vez que seja a esse Sabadabadão.
Ah e tal se não vires como é que sabes que é mau e que não gostas? Fácil... Nunca apanhei um tiro e sei que doi!