quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Antes de gostares de alguém tens de gostar de ti própria

Ela não consegue ver nada de bom na vida dela, só consegue pensar nele e no que tinha com ele. Vai daí, não se consegue afastar dele e insiste para que possam conversar com calma e resolver as coisas. Ele nunca quis conversar. Deixou de falar com ela e esteve mais de um mês sem lhe dizer absolutamente nada, tanto que ela dizia que não sabia se ainda tinha namorado ou não. Esta foi a primeira vez que eu lhe disse para se afastar porque ele não merecia uma lágrima que fosse da parte dela.

Naquele mês ela disse-lhe muitas coisas (por sms, voicemail...) que não podiam ser "desditas" e ele tratou-a com indiferença e desprezo. Para mim eram coisas que não podiam passar impunes e teriam de conversar muito e muito a sério antes de tentarem resolver as coisas. Não resolveram nada. Para ele estava tudo acabado. Para ela, bastava uma palavra dele e esquecia tudo.

Meses depois, ele segue a vida dele. Ela não segue a dela. Sei que não se esquece uma pessoa de um dia para o outro, mas assusta-me vê-la assim e assusta-me ainda mais ouvi-la dizer que agora não tem nada de bom na vida dela.

Concentradíssima, sócios!

Em menos de uma semana, a segunda carta do Centro de Emprego. Afinal até se faz alguma coisa para aqueles lados... Desta vez, estou convocada, e passo a citar, para "uma intervenção técnica com o objectivo de o apoiar na definição do seu Plano Pessoal de Emprego".

Dois parágrafos à frente , referem "divulgação de programas e medidas activas de emprego". Fiquei basicamente na mesma, mas se me convocaram podem contar com a minha presença sócios!

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Nunca pensei dizer isto mas já tinha saudades de acordar cedo!

Sou daquele tipo de pessoas que nunca tem sono à noite. Deitar-me cedo é sempre um projecto embargado e, a menos que esteja de rastos, é muito raro adormecer antes da 1h da manhã. Claro que depois de manhã é o fim do mundo... "São só mais cinco minutos" é o meu primeiro pensamento mal ouço o despertador tocar. Ou era, que agora no desemprego acordo quando me apetece.

Mas hoje não. Hoje tocou às 8h da manhã e eu, admito, já tinha saudades de acordar cedo. E de me sentar à mesa a tomar o pequeno-almoço decentemente e de me arranjar bem arranjada e de dançar enquanto me arranjou toda e qualquer música que passe no rádio àquela hora.

E o que te fez acordar cedo hoje?
Uma convocatória do Centro de Emprego.
E à hora marcada lá estava eu, e mais umas 20 pessoas, à espera que me apresentassem a tal oferta de emprego que falavam na carta que me enviaram.

E arranjaste emprego Never da Silva? 
Pois que não sei! Ouvi uma senhora a apresentar uma empresa com 125 anos de existência e falar em vagas em diferentes áereas, mas nenhuma em que eu tenho experiência. Quem estivesse realmente interessado, devia mandar CV por mail para a tal senhora. Ora eu já mandei o meu, mas deixei bem claro que não tenho nem formação nem experiência em nenhuma das áreas e não sei porque é que o centro de emprego me seleccionou. Agora é esperar a ver se me chama para uma entrevista.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Parecia o "Adeus" em Fátima

Lenços brancos no Dragão. Tivesse eu uma imagem de Nossa Senhora de Fátima e ia levá-la ao estádio. O Pinto não vai fazer nada, o Fonseca vai continuar a falar em azar (e desta vez falará num Bayern do Estoril) e os lenços brancos não servirão de nada... Já nem o meu FêCêPê me dá alegrias...

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Ó Pinto da Costa, vai pó c#r#lho

Uma equipa que não joga 90minutos...
Um meio campo que não funciona...
Um treinador que não sabe mexer na equipa....
Uma defesa que sofre dois golos em casa numa competição onde os golos sofrido podem (e vão) fazer a diferença....
Uma equipa que "adormece" vá-se lá saber porquê...

E ninguém faz nada? Está à espera do quê?
Já não quero que te reformes.. Ó Pinto da Costa vai pó c#r#lho!!!!!

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Ó tia levas-me à discoteca?

Do alto dos seus quase sete anos, sobrinha do meu coração pergunta: "Ó tia levas-me às discoteca?"
A minha mãe quase se engasga com a comida, eu rio à gargalhada mas lá lhe respondo:

- És muito nova para ir a uma discoteca pá!
- Também não disse que era agora tia. Pode ser mais no Verão.
- Cresce mais uns anos e a tia leva-te.
- Quantos?
- Hummm.. Uns 7 pelo menos!
- 7 faço eu agora.. Com mais 7 quantos tenho depois?
- Faz a conta.. 7 mais 7?
- Oh fogo.. tudo serve agora para eu fazer contas...

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Pagar 15€ e ficar com a foto mais horrível da História

Hoje fui renovar o cartão de cidadão. Já não me lembro quanto paguei na primeira vez que o fiz, mas hoje quase que chorei ao pagar os 15euros que me exigiam.
A senhora que me atendeu era tão simpática como as pedras da calçada e enquanto a máquina encravava ora na assinatura ora no reconhecimento das impressões digitais, lá estava ela a bufar e mandar vir baixinho. Não sabia se me ria da cara dela ou se chorava por ter de a ver...

E depois a foto. Pagar 15euros e ficar com a pior foto de sempre estampada num cartão que o Estado me impôs?!?! Porquê meu deus porquê?

Se no primeiro cartão achava que parecia uma reclusa, agora acho que pareço uma criminosa no activo...Não me admirava nada ser parada numa operação stop e ter as autoridades a verem a lista dos procurados em Portugal...


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Eu tento...

Depois da apresentação quinzenal na junta e dos recados feitos aqui às velhotas da rua... Fui apanhar mais uns choques no pé direito!!! No regresso a casa passei pelo Gabinete de Inserção Profissional e inscrevi-me em três formações que irão decorrer ainda não se sabe bem quando nem onde.. Serei contactada num futuro próximo (ou não).
Se entretanto morrer de tédio quero que escrevam na minha lápide "ela tentou..."

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Poderes mágicos

As lágrimas caíam sem que fizesse o mínimo esforço para as segurar. Não queria chorar, não queria pensar, não queria sentir aquela dor absurda que transbordava dentro de mim. O tempo demorava a passar. Os dias tinham mais horas, as horas tinham mais minutos e a dor continuava tão intensa como no primeiro dia. O sorriso, ainda que sincero, era fugaz e o brilho no olhar de alguma forma tinha-se esfumado. Não vivia, sobrevivia à rotina, às pessoas e às conversas do costume. Esqueci-me de como era sorrir por parvoíce, de como era rir-me até me doer a barriga... Esqueci-me de mim.

Voltar à vida foi um processo demorado, mais do que eu gostaria que fosse, mas a verdade é que durante o caminho fiquei a conhecer-me melhor e cresci bastante. Hoje o olhar brilha e o sorriso é constante. Hoje já não me esqueço de mim. Porque podemos ter muitas relações ao longo da vida, mas a única que depende só de nós é a que mantemos connosco próprios e essa, tal como as outras, também precisa de ser cultivada.

Queria ter poderes mágicos para evitar que as pessoas de quem eu gosto sofressem. Infelizmente não consigo... E é uma merda!!!



sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

A minha primeira vez

Não me vou esquecer deste dia. Não é à toa que dizem que a primeira vez fica na memória e hoje foi a primeira vez que apanhei choques eléctricos.
Num ambiente calmo, com música de fundo suave e com o ar condicionado ligado, deixei o vento e o frio lá fora e entreguei-me às mão dele, o massagista. Foram mais ou menos vinte minutos a apanhar com choques eléctricos no pé, aquele pé maltratado* pelo martelo dos bifes que a minha mãe me deixou cair em cima. Para a semana haverá mais choques, mas a sensção já não será a mesma.. Afinal já não será a primeira vez.


*Não está nada fora do sítio, mas tenho uma contusão no osso!

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Obrigada, mas não obrigada!

Eu não peço muito, a sério! Não peço um emprego de top, não peço um salário absurdo (mas aceito se fizerem mesmo questão), não peço condições do outro mundo...

Eu só peço UMA RESPOSTA FODA-SE! Até pode ser para me dizerem que não correspondo ao perfil ou que a vaga já foi ocupada, um simples "Obrigada, mas não obrigada!" e eu ficava feliz!

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Assim não "bale"

Não sei quem é o responsável pela caracterização do filme American Hustle e nem quero saber porque se algum dia me cruzar com essa criatura libertarerei toda a fúria que há em mim. Aliás essa pessoa devia ser condenada por ter transformado este senhor







nesta criatura absurda! É que não há condições pah...


Dia dos Namorados

Calma.
Não vou dissertar sobre o gordinho com asas que lança setas a torto e a direito no dia 14 de fevereiro, até porque calha a uma sexta e de certeza que ele empregará o seu tempo numa ladies night em alguma bar ou discoteca, nem tão pouco falar sobre a minha interessante vida amorosa.
Nada disso!

Quero só alertar para o passatempo a decorrer do blog da NI ENTRE AMIGOS onde podem ler as melhores frases de amor que esta blogosfera já viu. E podem votar claro!!
Ide e votai!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Será que chego ao fim de semana viva?

Segunda Feira. Ontem portanto.
Acordei demasiado cedo e com uma vontade de fazer xixi que por momentos pensei que ia rebentar. Sento-me na sanita e.. nada! A vontade estava lá, eu estava lá prontíssima a mostar a luz do dia ao meu xixzinho e.. nada! Uns segundinhos depois, eis que surge, belo e amarelo, o bendito xixi, mas não veio sozinho. Trouxe uma dor tão forte com ele que pensei que ia morrer ali. Volto para a cama e a vontade de fazer xixi surge ainda nem tinha deitado a cabeça na almofada. Este processo doloroso repetiu-se algumas vezes até que decidi que tinha de ir ao hospital. Depois de seis horas de espera, sim seis horas, um médico parecido com o Mantorras pede-me para fazer xixi num copo de plástico. Não era um frasquinho daqueles das análises, era mesmo um copo de plástico daqueles que se vendem em qualquer supermercado. Entrego o copo com xixi ao Dr. Mantorras, ele enfia lá um papelinho com umas marquinhas e, diz ele, confirma-se: "a manina tem uma infecção urinária".
Receita-me um antibiótio e um outro comprimido e volto para casa morta de fome, com vontade de fazer xixi outra vez e mais leve 18euros, valor da taxa moderadora (até me doeu!!!)

Hoje, terça-feira. Hora de almoço.
Enquanto trato dos legumes salteados, a minha mãe bate os bifes com aquele machadinho de cozinha. A certa altura esqueço onde estou, quem sou e o que faço aqui. O machado acerta-me num pé a uma velocidade tal que nem o vi. A minha mãe diz que não sabe como lhe saltou das mãos. Eu tento segurar as lágrima mas não consigo. Um saco de gelo depois, tenho o pé inchado e ainda não consigo perceber se os tendões estão todos no sítio. Vou continuar com o gelo até ver.

O que será que o "amanhã" me reserva?! Eis a questão.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Cueca.. cadê você?

Já me tinha esquecido da roupa interior antes (até relatei a história aqui). E ontem voltou a acontecer. Saio da piscina, tomo o banho quentinho, passo o creme hidratante e quando vou para vestir as cuecas.. cadê?! Com este frio, as cuecas fazem falta porra!!!!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Ir para a noite ou para um casamento?

Alguém que me explique quando é que sair à noite passou a ser um acontecimento social que requer roupa de cerimónia com direito a altos penteados e altas produções? É que no meu tempo uma calça de ganga e um topezinho servia perfeitamente e o cabelo era penteado mas sem laca brilhante ou lá que raio é aquilo.
Ou sou eu que estou a ficar velha ou agora para além das caipiroskas serem caras a noite fica muito mais cara em roupa...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Costureira ou Pescadora

Ontem foi dia de apresentação quinzenal na junta de freguesia. Sim, a minha vida ultimamente é tão animada como as noites do Cavaco Silva. Adiante!
Como boa cidadã que sou, fui na hora de atendimento do GIP - Gabinete de Inserção Profissional - e aproveitei para ver as ofertas de  trabalho na minha zona. Achei imensa piada a doutora (e adoro pessoas que se intitulam doutoras) ler-me as ofertas em voz alta. Podia muito bem deixar-me vê-las enquanto atendia as outras cinco pessoas que lá estavam para receber o belo do carimbo, esse marco histórico de uma busca activa de procura de trabalho.

E lá estava ela lançada... Costureira, pescadora, costureira, pescadora e basicamente era isto. Quando acabou de ler perguntou se tinha experiência nestas áreas. Ora bem, saber coser um botão não é propriamente ter experiência na área não é verdade? E quanto a ser pescadora, podia muito bem estar aqui o meu futuro, mas, e para além de não saber nadar, sei distinguir uma sardinha de uma solha porque estão expostas na peixaria do Pingo Doce com o nome numa plaquinha. O mesmo se passa com o salmão e com o linguado...

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Dear Mr. President

Caro senhor,

dê-me uns minutinhos da sua atenção e pense encarecidamente no que lhe vou pedir: reforme-se. Sim, leu bem mas eu repito: reforme-se! Não me leve a mal, tenho avós mais velhas que o senhor e  longe de mim pensar que os idosos já deram tudo o que tinham à sociedade, muito pelo contrário, considero até que se pode, e deve, aprender muito com eles. Mas a verdade é que chega uma altura da vida em que as capacidades, quer físicas quer mentais, já não são o que eram e penso que é preferível assumir de uma vez que já não se tem condições do que arrastar a situação.
No seu caso, é do domínio público que o coração tem dado problemas. E, convenhamos, o cérebro já não é o que era pois não? Assuma, não tenha vergonha. Não o irei julgar, muito pelo contrário, serei a primeira a aplaudir, quando admitir que tanta brasileira e tanto viagra lhe afectaram o discernimento. Recuso-me a acreditar que estas últimas épocas tenham sido mal geridas por vontade própria, prefiro culpar os comprimidos azuis que, por certo, têm efeitos nefastos à massa cinzenta. Só assim entendo a contratação do Paulo Fonseca, a compra do Izmailov e do Liedson, a situação do Fucile, a falta de opções no plantel nos últimos anos,.. Já percebeu a ideia, suponho. E o Espaço K?! O golo do Kelvin valeu um campeonato, é certo. Mas dedicar-lhe um espaço no museu? Pensava que isso era para os grandes nomes da casa, aqueles que deixavam a pele em campo se fosse preciso, aqueles que amavam a camisola que vestiam, aqueles que têm a mística do clube, aqueles que jogavam à Porto.. Lembra-se do que é isso sr. Presidente, do jogar à Porto? Eu quero isso de volta.. quero vibrar com cada jogada, quero saltar da cadeira em cada remate, quero chorar de orgulho no fim de um jogo da champions... Tenho saudades de ver a equipa a jogar com raça e de os ver respeitar a camisola que usam.

Reforme-se! Fez o clube crescer, é um facto inegável. Mas o barco anda à deriva e o comandante é o responsável máximo, por isso culpar apenas e só o Paulo Fonseca é responsabilizar  apenas um dos marinheiros. Claro que o pode mandar borda fora e alimentar tubarões, sinta-se à vontade, mas o seu a seu dono e o leme, esse, é seu, aliás como tantas vezes proclama.