terça-feira, 7 de maio de 2013

Deixem as crianças ser crianças

Aos 9 anos tinha apenas e só uma preocupação: o meu pai não discutir com a minha mãe. O meu pai era um homem  normal, mas quando bebia demais,sempre ao fim de semana para não ter ressacas em dias de trabalho, transformava-se e muitas das discussões acabavam, para a minha mãe, em nódoas negras. Passar o fim de semana sem discussão em casa era a minha única preocupação naquela altura, mas sabia que a minha casa não era regra, mas sim excepção. Nas outras casas, nas casas das minhas amigas, não havia nada disto e elas, as minhas amigas, eram crianças sem preocupações.

Brincávamos na rua e as arranhadelas nas pernas eram normalíssimas. Jogar à apanhadinha e à bola eram actividades banais e na escola, no tempo do recreio, jogávamos às escondidas e contávamos com um aliado de peso: o campo de milho que ficava ali mesmo ao lado. Durante os jogos de futebol, eram muitas as vezes em que ficava com as pernas pisadas e até mesmo com o nariz. Os cabeceamentos eram mal calculados e acertava muitas vezes na bola com o nariz.. Chorava de dor nos primeiros instantes, mas pouquíssimo tempo depois estava a rir-me por ter pisado o nariz.

Sabíamos que tínhamos deveres - os trabalhos de casa, obedecer à professora, arrumar o quarto, ajudar a pôr a mesa - mas também tínhamos o direito de brincar. Se haviam outros direitos, naquela altura não me importava. Tinha 9 anos, tinha todos os sonhos do mundo, tinha toda a esperança no futuro e sabia que quando as responsabilidades e as preocupações surgissem eu seria capaz de as enfrentar.

Acho indecente aos 9 anos as crianças terem exames nacionais. Uma expressão que, por si só, põe adolescentes de nervos em franja, não terá um efeito muito melhor em crianças.

8 comentários:

  1. Eu não sou contra os ditos exames, na medida em que são sempre uma espécie de preparação... Sou é contra o peso que eles têm na vida (principalmente escolar) das crianças. E também sou contra muitas crianças terem que se deslocar para outras escolas, algumas a km de distância.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje no metro ia uma senhora a contar q antes de sair de casa disse à filha "ai de ti que não tires boa nota".. é uma criança! Acho demasiada pressão!
      E isso das distâncias.. pfff... fazer mais de 20km para fazer um exame deve ser um sonho de muito boa gente mesmo lol

      Eliminar
    2. E não deste logo um calduço nessa mãe? Raio da mulher -.-
      É um sonho e dos bons xD

      Eliminar
  2. O problema, a meu ver nem são os exames nacionais em si, é a forma como comunicam certas coisas aos miúdos :\ não há necessidade de os stressarem daquela maneira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acho que é muito cedo para lhes exigirem tanto... Para isto têm de ser homenzinhos, mas para outras coisas "ai que tu é uma criança".. dois pesos e duas medidas!

      Eliminar
  3. Concordo contigo. É um peso demasiado grande para esta idade. É uma pressão com a qual eles ainda não sabem lidar, porque também ainda não tem ferramentas para lidar com uma possível frustração. De uma coisa tenho a certeza: não é assim que o ensino em Portugal vai melhorar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! Isto só vai servir para que eles comecem a não querer estudar cada vez mais cedo!

      Eliminar
  4. já não me lembro de nada dos meus 9 anos, mas se fosse agora sei que iria borrar a cueca toda

    ResponderEliminar