sexta-feira, 31 de maio de 2013

Conselho sábio

Eu queixo-me da minha vida amorosa, ou falta dela vá.. e ouço disto:
" O que tu precisas é frequentar sítios com grandes probabilidades de ter gajedo"!

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Espirros

Se eu tivesse dinheiro como tenho espirros, seria uma das gajas mais ricas do mundo... Dasse!
A minha colega de trabalho, cansada de dizer "santinha", já me disse "santinha para todos" e agora cala-se!
Não há condições.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

É por isto que as pessoas devem avisar que vão a casa das pessoas

Não há nada melhor do que um duche depois de um dia de trabalho. Deixa-me relaxada, mais leve e gosto de tomar o meu duche calmamente e com música. Sim, eu canto no duche como se não houvesse amanhã. E também isso faço sem preocupações, ou seja, não me preocupo minamente com o volume e, muito menos, com a letra. Aliás, o belo do "La la la" foi inventado para estas situações, aposto.

Mas aquilo que eu mais gosto é fazer medleys. Uma simples frase de uma música e eu a seguir engato logo outra música que não tem nada a ver.. É cada mistura bonita que qualquer anúncio a um festival de Verão (com pedacinhos das múscas dos vários artistas) se sentiria mal se me ouvisse.

A coisa só perde a piada toda quando saio da casa de banho ainda a cantar, mas enrolada na toalha e com o pente a servir de microfone, entro na sala a dançar (ah pois, eu canto e danço! não brinco) e dou de caras com a minha mãe e os meus tios sentados, mas muito calados. Tal como aconteceu ontem à noite. Perdi o pio com a vergonha. Mas não sabia que ia ter visitas...

terça-feira, 28 de maio de 2013

Pinante: ser ou não ser!

Eu e uma super amiga usamos a expressão "que pinante"para nos referirmos a várias coisas e/ou pessoas:
. aquele gajo com barba de três dias cheio de charme » Que pinante!
. aquela camisola todo fofinho » Que pinante!
. a minha cadela com o seu cruzar de patas sexy » Que pinante!

Ontem, a minha sobrinha, do alto dos seus seis anos, vem mostrar-me o novo pijama da Kitty e diz-me toda orgulhosa: "Então tia, sou ou não sou pinante?".
Eu ri-me e disse que sim, mas depois notei algo estranho. O drama, o horror, a tragédia... Tudo a olhar para mim com a incredulidade estampada na cara. "Como é que ensinaste isso à menina?", perguntaram-me. "A maldade está nas vossas cabeças", foi a resposta.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Estado de choque!

Hoje não quero saber das palhaçadas do Cavaco, nem tão pouco da vitória do Vitória na Taça de Portugal.
Não me interessa saber o que levou o Cardozo a querer pregar dois pregos ao Jesus (so lhe faltava mesmo a cruz) nem se o Pintinho já ligou ao óscar para vir para norte.

Hoje nada me interessa. Estou em estado de choque!!! Vi o José Castelo Branco num fato sado-maso e a explicar à Julinha que o seu material ficava todo arrumadinho para trás, depois de ela observar (e que observação brilhante) que não se notava ali nada na parte da frente.


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Só me apetece ganir!!!!

Hoje não estou nos meus dias. Há coisas que me chateiam mesmo muito e chegar ao parque do metro depois de um dia de trabalho e ver o meu carro raspado é uma delas.
Já aqui falei do espaço apertado de cada lugar de estacionamento e dos estacionamentos "à larga", mas daí até baterem ou rasparem os carros, vai uma distância e ultrapassa-se o limite da decência.

Podia ser pior? Sim podia. Mas o carro é meu e se for eu a raspá-lo na parede porque estava distraída ou porque sou maçarica, a responsabilidade é minha e só estrago o que é meu. Agora fazer esta porcaria e não assumir responsabilidades, é coisinha que eu não percebo. Espero que a vida retribua em dobro este acto de pura bondade e brinde a pessoa responsável com um lindo e grande pinheiro no rabo... com muitos ramos e muitas pinhas!!!

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Futuro risonho

Ouvir duas mães conversarem  sobre o futuro dos filhos, que pelo percebi ainda andam na escola primária, levou-me a pensar no quanto se exige das crianças. Uma quer que a filha estude para ser "doutora", a outra disse que ultimamente estudar não garante um bom salário (não poderia concordar mais) e que por isso o filho será o que tiver de ser.

Ora eu, gaja sem filhos e sem previsão de os ter, já tenho tudo pensado. Terei um filho (com as meninas gasta-se muito mais dinheiro com lacinhos e fitas para o cabelo e kittys e princesas) e será ou cantor ou jogador de futebol, ficará ao critério dele. E irá começar cedo, pois claro.

Se optar pela carreira artística, será o novo Saul de Portugal: muito fofo, muito engraçado e com uma vozinha esganiçada que só ele, mas encherá tudo o que for bailarico da aldeia e será o mais novo dos convidados da Querida Júlia e outros programas que tais.

Se preferir as lides futebolísticas, será o próximo CR7 de Portugal, mas sem o azeite e com os dentes direitinhos, nem que use aparelho anos a fio. Duvido que em tão tenra idade ganhe o suficiente para manter a família toda, mas isso logo se vê. Dizem que a publicidade dá dinheiro e tão fofo e querido que só ele, não tenho dúvidas que será escolhido por uma marca ou  outra.


terça-feira, 21 de maio de 2013

O centro de saúde devia passar a chamar-se centro da estupidez!

Cheguei ao centro de saúde 15 minutos antes da hora marcada. 1º erro!!!
Sentei-me ao lado de duas senhoras. 2º erro!!!
Quando uma delas me perguntou se estava ali para consulta ou para falar com a médica, eu respondi de forma simpática. 3º erro!!!
A partir daqui, foi tudo muito rápido, elas a debitarem informação a um ritmo alucinante, eu a cantar mentalmente para não ouvir nada do que elas estavam a dizer até que ouço isto:

Senhora 1: tenho meu filho é "esquizofrénio".
Senhora 2: ai coitadinho. Mas nasceu assim?
Senhora 1: Não, ficou assim depois de sair da escola. A médica diz que não, mas eu acho que foi por ter estudado muito. Tanto estudo queimou-lhe a cabeça...
Senhora 2: Mas é daqueles controlados?
Senhora 1: Se tomar os remédios é, senão com os nervos é capaz de matar um homem.
Senhora 2: Eu bem digo à minha neta que é uma asneira estudar...

Quando me perguntou o que eu pensava, eu disse que andei na escola 16 anos e que gostei bastante. "Coitadinha" disse uma, enquanto a outra olhava para mim como se estivesse a ver um fantasma...

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Como fazer um gajo olhar para uma gaja sem recorrer ao decote!

Ontem soube o que era ter os olhos postos em mim.
Ontem senti o que sentem as gajas boas quando passam e os gajos reviram o pescoço para olhar melhor. E isto sem recorrer ao decote (coitadinhas bah!!) e sem o uso da mini-saia.
Como é que eu consegui que olhassem para mim?
Elementar meus caros Watsons: Eram 18horas e eu em pleno shopping de camisola do FêCêPê orgulhosamente vestida. E como está autografada no peito, os olhos vinham todos para esta zona. O jovenzinho que me serviu o sumo de frutas natural até conseguiu perceber o meu nome de tanto olhar para a camisola...

TRIbuto!

Somos nós somos nós CAMPEÕES de Portugal somos nós!!!

E é isto!!! Agora vou ali contribuir um bocadinho para a economia do nosso país e já volto!!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Baby boom e eu que me lixe!

Tenho para mim que no Inverno passado houve muita trovoada e muitas tempestades e eu, como tenho sono pesado, não dei conta. É que anda tudo grávido!!! De há uns dias para cá, só vejo mulheres lindas e barrigudinhas, ele é no metro, ele é no café, ele é por esse facebook fora...
E eu confesso que sinto uma certa inveja, mas daquela inveja boa. Não lhes rogo pragas que eu sou boa pessoa e a sério que fico contente por elas, mesmo não as conhecendo de lado nenhum.

O pior são aquelas que a minha mãe conhece. Quando se lembra de me fazer o relatório das casadas ou das grávidas lá da terra, eu digo mal dos meus pecados. Porque com a minha idade ela já tinha as duas filhas, porque ela não vai durar para sempre e não quer morrer sem me ver "arrumada", porque o mal tem de ser meu porque o que não falta no mundo são homens.. Até já me perguntou se eu gostava de mulheres!!!

Um dia destes sou mãe solteira e pronto!!!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Ou eu não estou bem ou a TPM é mesmo um fenómeno do caraças!

Eu, portista da pontinha do meu dedão até às pontinhas dos caracóis, dei por mim ontem a ter pena do Benfica. Não vou fizer que fiquei triste e que chorei com a derrota porque isso de chorar e de sofrer e de roer as unhas e de mordiscar as cutículas e de insultar a mãe do senhor do apito está reservado única e exclusivamente para o clube do meu coração: o meu  fêcêpê.
Mas prontos, sou uma gaja sensível e ver o Cardozo chorar como uma criança mexeu comigo e senti pena. Há uma primeira vez para tudo.

E assim se convence uma pessoa

Ela: Oh tia podias vir buscar-me à escola mais vezes. A mamã nunca me leva ao parque.
Eu: Não sejas assim, a mamã tem mais coisas para fazer.
Ela: Mas tu levas-me sempre ao parque e a lanchar.
Eu: E a mamã não te dá de comer?
Ela: Dá, em casa. Achas que tenho este bolo maravilhoso em casa?
Eu: Não podes comer bolos todos os dias, fazem mal.
Ela: Fico muito gorda pois é? Eu quero ser como tu.
Eu: A tia não é magrinha...
Ela: Mas és linda e eu quero ser como tu.

E eu sinto o peito a inchar, qual balão de ar quente!!
Até que ela diz: "E não vamos ver lojas? Eu mereço uma prenda" e aí os elogios assumem o seu papel principal: dar graxa!

terça-feira, 14 de maio de 2013

Carta a D. Afonso Henriques

Caro Afonso,

Imagino que te sintas revoltado com tudo aquilo que se está a passar num país que só existe por tua causa. Tenho a certeza que na altura em que lutaste tão afincadamente por este pedaço de terra, não esperavas que isto se transformasse num circo com palhaços reconhecidos internacionalmente e trapezistas que fazem trinta por linha para chegar ao topo.

Por esta altura já te deves ter perguntado se valeu a pena assentares na tua mãe. Espero que ela já te tenha perdoado, afinal o tempo cura tudo e ela não tem propriamente um passado imaculado. Seja como for, bateste-lhe, lutaste contra ela porque acreditavas numa causa maior do que a família, num propósito mais forte do que o sangue e nem quero imaginar o quão desiludido te deves sentir agora ao ver pessoas como estas, desprovidas de princípios e sem a mínima noção de honra, a dirigir o país que tu fundaste com tanto esforço e dedicação.

Tenho pena de não te poder dar boas notícias, mas parece que o teu país irá sofrer mais uma machadada e sinceramente temo que não será a última. Quantos mais golpes iremos suportar? Lamento, mas não te sei dizer. Temos suportado um golpe atrás do outro, mas aos poucos a nossa esperança, a nossa crença e a nossa garra vão-se perdendo e temo o dia em que nenhum de nós acredite mais neste Portugal que tu fundaste. Não me leves a mal por dizê-lo assim, desta forma tão rude, mas a verdade é que as nossas forças não devem durar muito mais tempo, não quando os golpes desferidos partem de quem nos devia defender e de quem deveria lutar por nós, tal como tu fazias nas tuas batalhas.

Não me alongo mais, não é minha intenção tomar muito do teu tempo. Quero apenas que saibas que tenho vergonha por não poder fazer mais pela tua causa, tenho vergonha deste governantes que dia após dia contribuem para a queda desta identidade que tu fundaste.

Grata pela atenção,

Euzinha da Silva


Ps.: Se vires o D. Sebastião, diz-lhe para voltar.. Temos tido vários dias com nevoeiro e toda a esperança é bem-vinda.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Homens.. Vá-se lá perceber!

Os homens queixam-se que as mulheres demoram séculos a preparar-se para sair.
Mas e o tempo que eles demoram a limpar o carro? Eu lavei, aspirei e enchi os pneus do meu pequeno possante enquanto um senhor lavou o dele... Tanta devoção, tanta delicadeza, tanto cuidado até já me estava a impressionar... Só faltava pedir desculpa ao carro por o molhar ou algo do género!
E tantos nhé nhé nhés com o carro, todo ele delicatesse, para depois se virar para a a mulher e grunhir um "Já estás a comer gelados? Em casa falamos..."

(Havia de ser comigo.. levava com o gelado onde lhe dói mais: no carro!!!)

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Das conversas no metro

No metro, esse poço de cultura e aventuras, vinham duas senhoras à minha frente (como eu detesto aqueles bancos de quatro em tenho de me encolher toda senão estou sempre a bater com os joelhos na pessoa à minha frente) a falar sobre depilação. E aí está uma coisa que eu não preciso de ouvir às 8h da manhã... A essa hora o meu cérebro não está no auge das suas capacidades, mas a minha imaginação não precisa de muito para despertar e, como tal, basta ouvir falar em decorações que eu imagino logo onde e como a senhora decorou a dita cuja. Diz a minha avó, do alto dos seus 84 anos, que cada um sabe de si e Deus sabe de nós todos. E se a senhora quer depilar e decorar a dita cuja, pois é lá com ela. Mas eu não precisava de saber. Como se isto não bastasse, ainda se pôs a dizer que um diz destes rapa o marido todo. Foi esta a expressão que ela utilizou. A outra perguntou-lhe se o marido não se importava, ao que ela responde que se importa ela.. Depois há divórcios, pois claro.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Façam-me rir!





Não consigo deixar de pensar que alguém fechou o plantel benfiquista no Seixal.
À la Big Brother...
O próximo avião levará uma mensagem do LFV para o Jesus, algo do género "porque me abandonaste?"


quarta-feira, 8 de maio de 2013

Homens lisboetas

Diz aqui que Lisboa tem dos homens mais bonitos do mundo.
Se tudo correr bem, em Agosto eu e uma super amiga iremos passar um fim de semana à capital e vou poder comprovar este estudo com estes olhinhos. Até lá, tenho de saber o que vale a pena visitar. (A única coisa que conheço é a zona da Expo e é vergonhoso, eu sei!). Alguma ideia?

Sabes que estás a ficar velha quando...

... vês um jovenzinho chegar da queima no metro que tu apanhas para ir trabalhar!!
E depois de olhar bem para aquela figura toda desgrenhada e para a cartola toda amassada pensas no dia do teu cortejo e apercebes-te que não foi há 2 nem há 3 anos atrás, mas sim há 8!

terça-feira, 7 de maio de 2013

Deixem as crianças ser crianças

Aos 9 anos tinha apenas e só uma preocupação: o meu pai não discutir com a minha mãe. O meu pai era um homem  normal, mas quando bebia demais,sempre ao fim de semana para não ter ressacas em dias de trabalho, transformava-se e muitas das discussões acabavam, para a minha mãe, em nódoas negras. Passar o fim de semana sem discussão em casa era a minha única preocupação naquela altura, mas sabia que a minha casa não era regra, mas sim excepção. Nas outras casas, nas casas das minhas amigas, não havia nada disto e elas, as minhas amigas, eram crianças sem preocupações.

Brincávamos na rua e as arranhadelas nas pernas eram normalíssimas. Jogar à apanhadinha e à bola eram actividades banais e na escola, no tempo do recreio, jogávamos às escondidas e contávamos com um aliado de peso: o campo de milho que ficava ali mesmo ao lado. Durante os jogos de futebol, eram muitas as vezes em que ficava com as pernas pisadas e até mesmo com o nariz. Os cabeceamentos eram mal calculados e acertava muitas vezes na bola com o nariz.. Chorava de dor nos primeiros instantes, mas pouquíssimo tempo depois estava a rir-me por ter pisado o nariz.

Sabíamos que tínhamos deveres - os trabalhos de casa, obedecer à professora, arrumar o quarto, ajudar a pôr a mesa - mas também tínhamos o direito de brincar. Se haviam outros direitos, naquela altura não me importava. Tinha 9 anos, tinha todos os sonhos do mundo, tinha toda a esperança no futuro e sabia que quando as responsabilidades e as preocupações surgissem eu seria capaz de as enfrentar.

Acho indecente aos 9 anos as crianças terem exames nacionais. Uma expressão que, por si só, põe adolescentes de nervos em franja, não terá um efeito muito melhor em crianças.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Porquê meu deus.. Porquê?

Duas faixas de rodagem, eu vou pela direita porque não estou nos meus dias Schumacher (nada a ver com o facto de ser um bocado maçarica portanto). Olho para a esquerda e está um carro mesmo ao meu lado. O condutor é todo apresentável, ou pelo menos parece que não posso olhar muito... Noto que está a mexer os lábios. Abrando o meu possante que a última coisa que quero é ter e/ou causar um acidente. Volto a olhar e ele está a fazer gestos e a apontar para baixo.
Faço a minha cara de "Não tô entendendo" e ele aponta para a porta do carro. Finalmente percebo: o cinto do casaco está a rastejar no chão. 

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Operação Fucidine

Andei dois dias a passar creminho na narina direita, pensando eu que estava vermelha e inchada devido à constipação que tomou conta de mim desde domingo à noite, graças ao belo do picnic gelado. Se era estranho ter só uma narina rebentada em vez do nariz todo já que o limpava por igual não sei quantas vezes ao dia? Oh pá.. era,  mas sei lá eu os meandros de uma constipação e quais os seus estranhos efeitos?!

Como vi que o creminho não ajudava em nada, e depois de começar a ver umas cabecinhas amarelas lá pelo meio, decidi passar na farmácia. E eis que o senhor de me diz que não tem nada a ver com o frio nem com a constipação. O choque!! O horror!! A tragédia!!! "Deve ter sido mordida por um bichinho qualquer e tem aí um fungozinho". E lá tenho eu que passar uma pomada chamada Fucidine na narina. "Se ficar com uma bolha de pus não se assuste, é sinal que está a reagir à pomada".

Assustar-me? Eu? Com um bolha de pus mesmo no meio da cara? Com as pessoas a olharem para mim de lado no metro porque o meu nariz pode cair a qualquer momento? Claro que não me assusto.. pffff!