terça-feira, 23 de abril de 2013

Raio de mundo este!

Ontem fui dar sangue ao IPO - Porto. Depois de ter lá ido algumas vezes quando o meu pai lá esteve internado, rezei para que o centro de dadores fosse o mais longe possível do internamento das crianças porque partia-se-me o coração sempre que por lá passava!
Felizmente, ficava noutro prédio e a minha boa acção correu bem, sem nada que me perturbasse ( o pré-desmaio da minha amiga que também queria dar sangue e não conseguiu fez-me rir confesso lol).
Depois do sangue, quis fazer a inscrição para doar medula. Rumo ao Hospital S. João, lá fomos nós descobrir o Centro de Histocompatibilidade do Norte. No percurso, uma ambulância pára no serviço de consultas externas. O bombeiro sai, abre a porta e ajuda uma mãe a levar uma criança para o interior do hospital. Naquele momento, naqueles segundos em que o meu olhar se cruzou com o da menina, senti um turbilhão de coisas cá dentro: raiva por não poder fazer nada por aquela menina que mal se conseguia mexer, tristeza porque aquela menina devia caminhar, saltar e correr de alegria e não ser carregada pela mãe, pânico por não saber se algum dia terei uma filha doente e uma vergonha enorme por ter rezado para não ver crianças no IPO. Quando ela sorriu para mim, um sorriso muito débil, sorri de volta, no meu melhor sorriso porque naquele momento era tudo o que lhe podia dar. No instante a seguir, os meus olhos encheram-se se lágrimas. Quando me tiravam sangue para doar medula só pensava naquela menina.. Um dia talvez possa fazer mais do que sorri de volta.

12 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu espero bem que sim :) a minha medula devia ser como o sol que quando nasce, nasce para todos :P

      Eliminar
  2. Que gesto bonito :) Um dia também gostava de poder fazer mais do que sorrir de volta **

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sabe uma dia não salvamoa a vida de alguém? :)

      Eliminar
  3. E o que poderias fazer tu? Infelizmente nós seres-humanos valemos zero, quando comparados com a força da natureza. Não podemos contrariar o que está definido por forças maiores, infelizmente. Mas se te sentires capaz, podes sempre ser voluntária na ala infantil do IPO. Been there, done that. Não é para fracos de coração. Não foi para mim. :-S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando o meu pai estev internado no IPO, pensei seriamente em ser voluntária na ala infantil, mas depois de lá ter estado duas vezes e sair de lá a chorar desisti da ideia! Admiro muito todo o trabalho que lá fazem, mas tenho plena consciência de que eu nunca seria capaz!

      Eliminar
  4. Não se goza com quem desmaia :$ isto porque eu também adorava poder fazer o mesmo que tu, mas tenho um pânico tal a agulhas que o simples facto de fazer análises 1/2 vezes por ano já me transtorna :$

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela não chegou a desmaiar, mas quando cheguei ao pé dela tinha duas enfermeiras a controla-la lol depois a médica não a deixou dar sangue e ela qaundo viu a espessura da agulha também desistiu da ideia!

      Eliminar
    2. Garanto-te que esta fobia é mesmo muito difícil de ultrapassar :$

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Hei-de ter o meu lugarzinho no céu.. ou não LOL

      Eliminar
  6. Eu não posso doar sangue, baniram-me porque no final de cada doação tinha sucessivas quebras de tensão e desmaios... -.-
    Mas já estou no banco de possíveis dadores de medula há alguns anos... infelizmente até agora ainda não fui compatível com ninguém... :(

    ResponderEliminar