sexta-feira, 19 de abril de 2013

Descrença

A minha fé nos homens sempre foi muito ténue. Tinha cinco anos quando disse à minha prima que não casasse porque os maridos batem nas mulheres. Ela riu-se e disse que contava comigo para não deixar que isso acontecesse. E eu, armada em adulta, fui ter com o futuro marido e, do alto da minha sabedoria, disse-lhe que tinha de tratar a minha prima sempre muito bem.Tinha o exemplo em casa de como um casamento não devia ser e desde pequena que não acredito que casar faça a diferença. Acredito nas pessoas, na relação que constroem a cada dia que passa, nos pequenos e grandes gestos que moldam e consolidam essa relação, nos momentos bons e nos menos bons que enfrentam juntos ao longo do tempo e na amizade, na confiança e na cumplicidade que vão crescendo a cada dia.

De maneiras que, com as relações ou "quase-relações" que tenho tido, a minha fé nos homens tem vindo a crescer tanto como a economia no nosso país..  E já não bastava o que me aconteceu (que relatei aqui) na minha última (pseudo) relação, agora tinha de aparecer um ser, chamemos-lhe assim, do mesmo género à minha melhor amiga. Foi esse ser que deu origem ao post anterior e eu, que vivo tudo de muito perto, não me consigo distanciar e ando puta da vida com isto. Debaixo de que pedra é que andam os homens decentes, os homens com "h" grande?

20 comentários:

  1. Ai tu procuas debaixo das pedras?! Assim não chegas lá, filha! ;p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL acho que não chego lá de maneira nenhuma :p

      Eliminar
  2. Estou contigo na descrença... Se descobrires o sítio, avisa por favor. Mas já agora, concordo também que cada vez as instituições fazem menos diferença, começando na do casamento. Não significa nada para a maioria das pessoas, que casam para fazer uma festa gira. Olha, eu vou fazer 30 anos, vou fazer uma festa gira, se me aparecer lá um homem decente, fico com tudo arrumado :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu faço 30 este ano lol ainda fazemos festa e casamento as duas na mesma quinta.. assim tipo noivas de santo anónio LOL

      Eliminar
    2. Devíamos juntar umas solteiras e promover uma espécie de casting dos Ídolos, mas para noivos. Com várias provas e demonstrações de talento. Sempre dava uns vídeos giros para alimentar blogs durante uns 10 anos :P

      Eliminar
    3. LOL isso é uma grande ideia!!! De certeza que era bem mais engraçado do que a casa dos degredos ou o big brother... Acho que há em ti uma produtora cheia de ideias :)

      Eliminar
  3. Eu dava-te o "meu"... mas lá está... é MEU :$

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É teu e está muito bem contigo, pelo que vou percebendo :) E ainda bem porque acho que tu mereces meeeeesmo :)

      Eliminar
  4. Pare que inexistentes, pelo menos os livres...eu digo o mesmo...so me aparece e fxxx de pxxxx...

    ResponderEliminar
  5. Considero-me um homem com carácter, se isso é ser um Homem com H grande então acho que sou :$

    Mas já estou (muito bem) reservado :$

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, ter carácter é fundamental!! Muito bem reservado e feliz pelo que vou percebendo e ainda bem :) Que sejas smepre assim!! é o "mal" que eu te desejo :P

      Eliminar
  6. Até ao momento o mê hôme ainda não me deu razões para me desiludir mas estou sempre à espera das razões, porque tal como tu não acredito neles e sei que mais cedo ou mais tarde metem a pata na poça, não há nada a fazer. (atenção que isto é o meu trauma do abandono a falar lol)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu cresci num ambiente de violência doméstica por isso também tenho os meus traumas em relaçao aos homens.. e o os que me aparecem vá, não ajudam nadinha lol

      Eliminar
  7. NTW, são poucos, mas ainda vão existindo. Da minha não sábia experiência, posso garantir-te que a minha vida até aos 29 foi um remake do Sexo e a Cidade, com montes de homens completamente alucinados, e que me faziam afastar da ideia de que algum fosse decente. O que vou dizer a seguir já deves ter ouvido uma data de vezes de mais gente, mas acredita que é verdade: quando me fechei completamente para as relações, "ele" apareceu. Comecei a andar com ele só numa de me divertir um bocadinho por uns meses, e mesmo com todo o meu desprendimento, um dia ele fez-me sentir que estava realmente na relação e que não entendia porque eu não estava. E repara: como a minha fé no casamento foi sempre "nenhuma", e toda a gente conhecia o meu «casar? Eu? Jamais?», houve pessoas que vieram ao meu casamento só para ver se era verdade. As relações perfeitas e os homens perfeitos não existem. Mas ainda sobram alguns decentes, you may bet. ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho 29 e penso exactamente isso "eu casar? never, jamééé" e da forma que isto anda é mesmo o mais certo!!! Um homem decente é muita areia para a minha camioneta e para os outros estou sem paciência...

      Eliminar
  8. A tua amiga que o ponha a milhas, carago!

    ResponderEliminar
  9. Ai o caralho que sofremos as duas do mesmo mal.. Devemos ser mesmo irmãs! Só que eu tou numa situação pior... se calhar hoje escrevo-te um mail de desabafo só para ouvir alguém que não presencia a situação em que vivo e que me vai dar (espero eu) uma opinião transparente :)

    Preciso de ti.. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "AMANDA"!! eu leio e opino sem problemas :) situação pior?? oh carago... tens de me contar isso direito!!!

      Eliminar