segunda-feira, 4 de junho de 2012

Azul, azul, azul, azul

Andar de ambulância só deve ser uma experiência pacífica para quem lá vai inconsciente. Porque eu, bem eu senti todas as células do meu corpo a chocalhar durante a viagem, o meu tico e o meu teco não conseguiam alinhar duas sílabas quanto mais explicar que precisava de um saquinho para o vómito.. Ninguém os mandou obrigarem-me a deitar, eu avisei que ia bem sentada, mas não me ouviram. Só conseguia ver o "azul, azul, azul, azul, azul"...

Sem comentários:

Enviar um comentário